24 de nov de 2008

Com doçura


Quero quando me olhem

Pelo olhar me conheçam

Quero que em pequenos

Sorrisos me entendam

Quero que num abraço

Me compreendam

Quero que em simples

Toques me vejam

Quero que no silencio

Me sintam

Quero que em gestos

Simples de ternura

Me amem

Com doçura

19 de nov de 2008

Num só


Começo a questionar-me com a minha própria vida, do que perdi e ganhei, se as decisões e opções que tomei foram as mais certas ou não, sobre minhas escolhas no passado que vieram influenciar o meu presente e com certeza meu futuro e daqueles que fazem parte da minha vida.

Tenho vivido ultimamente tentando me encontrar, a olhar para dentro de mim, do que sou, buscando a cada dia a paz interior que tanto anseio, a estabilidade que preciso, para poder caminhar

Tenho aprendido com um grande amigo, que ao aceitarmos de coração aberto e com simplicidade, mesmo as coisas menos boas, conseguimos tirar delas, aprendizagens que nos dão conhecimentos, sabedoria, para levarmos uma vida de esperança, segurança, harmonia, confiança.

Quero fazer da minha vida uma nova caminhada, guardar tudo o que vivi e sofri num cantinho, sem mágoas ou rancores. Quero olhar para a frente e viver cada momento como se fosse único, encontrar equilíbrio, maturidade, que meu corpo e minha mente se unam

num só

12 de nov de 2008

Conheça-me


Conheça-me
Não pelas palavras que falo
Às vezes, simplesmente por falar
Mas por aquelas que registro
Vindas do mais profundo calar
Entenda-me
Não pelas palavras sonoras
Que num ímpeto “impensado”
Pesam no ar
Deixam o clima pesado
Mas pelas vezes que grito
Num desabafo
O que meu âmago quer externar
(e escrevo em qualquer lugar)
Escuta-me
Não por fonemas desconexos
Que soam sem ênfase
Sem nexo
Não condizentes com meu expressar
Mas pelos lampejos da alma
Transcritos em forma de símbolos
Que falam mais que o próprio falar
E se um dia
A minha alma não puder registar
Leia o que descreve meu olhar

(CARMEM)

5 de nov de 2008

Simplesmente

Simplesmente...
Sem gestos arrojados
De alcançar galáxias
Andar na Via Láctea
E de roubar estrelas
Para me impressionar
Ama-me
Simplesmente
Sem gestos tresloucados
De desbravar o mar
Galgar ondas bravias
Em meio a tempestades
Tempos de maré alta
Só para me agradar
Ama-me
Simplesmente
Sem gestos arriscados
De transcender limites
Sem traspassar fronteiras
Voando um voo alado
Para conquistar o mundo
Só para me entregar
Para me emocionar
Ama-me,
Simplesmente
Sem gestos empolgados
De recolher dos dias
Os versos inspirados
Trazer-me poesias
Mostrar-te apaixonado
Para ter-me ao teu lado
Ama-me...
Com gesto enamorado
Simplesmente
Docemente
Eternamente